Se vivo, viva!


SINCERA
junho 29, 2007, 4:27 pm
Filed under: Reflexivos

images-vaso.jpg

Estava eu navegando neste profundo mar virtual que se chama internet, e logo depois de checar meus e-mails, olhar minhas mensagens no Orkut entrei de forma rotineira e oculta no MSN, para ver quem estava on-line. Deparei-me com meu amigo Mestre Newton e suas célebres contas amortizadoras do pagamento do seu “apê”, descritos em seu perfil. Tínhamos trocado e-mails na noite anterior sobre alguns assuntos, e na manhã seguinte compartilhamos algumas frases no famoso MSN, ele com o perfil “ocupado” e eu com o meu tradicional perfil “oculto” como de costume. Falamos dentre várias frases e diversos assuntos como; amor fraternal, irmandade, preocupação com o próximo etc. Uma me chamou a atenção de forma diferenciada dentre as outras e “martelou-me” na manhã de trabalho que hora praticava. Essa palavra foi a palavra sincero.

Palavra do nosso cotidiano muitas vezes repetida ao longo de um dia diversas vezes. Mais parei para analisá-la, estudá-la um pouco e me “joguei” naquela manhã nesta palavra que trago para vocês.

Comecemos um pouco com História.

A palavra SINCERA foi inventada pelos romanos.Eles produziam vários vasos com uma cera especial. Essa cera era, às vezes, tão pura e perfeita que os vasos se tornavam transparentes.Em alguns casos se conseguia ver objetos que estivessem no interior do vaso, olhando-se por fora.Para esta perfeição da arte antiga os romanos diziam “Como é lindo, parece até que não tem cera!”.”Sine cera” queria dizer “sem cera”, uma qualidade de um vaso perfeito, raro de grande valor que deixava ver através de suas paredes e da antiga cerâmica romana.Esta palavra passou a ter um significado muito mais importante nos dias atuais. Muitas definições  já conhecemos, mais vale a pena “refrescar” a nossa memória.

Sincero, é aquele que é franco, leal, verdadeiro, que não oculta, que não usa disfarces, malicias ou dissimulações. Que por muitas vezes o “fake” encobre o brilho da cera perfeita, e ficamos superfíciais no engano, suportando uns aos outros, diferente de como o Apóstolo ensinou; não suportando em amor mais verdadeiramente aturando em ardor.

O Sincero assemelha-se a um vaso romano do mais puro refino artístico, deixa ver através das suas palavras os nobres sentimentos do coração. Sem medo de falar, mais sempre com amor. Mas as vezes deixamos a pessoa toda coberta com a “cera” da falsidade e falamos, falamos… sem usar as palavras nobres da sinceridade e sem dirigir-se a pessoa com carinho com algo a ensinar e melhorar.

SINCERA transmite confiança e é a primeira coisa que se perde tambem quando não há sinceridade.

SINCERA é o verdadeiro amor que as vezes fala forte, machuca mais ama, bate com o martelo de veludo para que os pregos se fixem de forma harmoniosa.

SINCERA é uma palavra doce e confiável , é uma palavra que acolhe.Por isso que falo Mestre Newton que aprendemos sempre uns com os outros e você me fez enxergar o quão precioso e nobre a sinceridade carrega consigo. Procuremos meus irmãos cada vez mais amar os nosso irmãos assim como Jesus amou a sua igreja. Isso resume nossa historia aqui.

E pra finalizar afirmo; SINCERA é uma palavra que deve estar presente na biblioteca de nossa alma.

Com sinceridade,

Autor – Henrique Neto